Descrição das unidades curriculares

Teorias e Métodos da Antropologia

Docente: João Leal

Caminhos da teoria antropológica: onde estávamos e onde estamos.  A antropologia contemporânea.   Entre o local e global: uma antropologia situada.   A multiplicação dos tópicos de análise: uma antropologia diversificada. Novos diálogos inter-disciplinares: uma antropologia aberta.  Cultura, sociedade e política: uma antropologia crítica.  Os futuros da teoria antropológica: entre a inovação e o retorno crítico aos clássicos.         Dos desafios teóricos aos desafios metodológicos: novos objectos e novos terrenos.  O método etnográfico hoje: desenho de pesquisa e trabalho de campo. Etnografia e teoria: o lugar da comparação.

 

Antropologia do Turismo

Docente: Maria Cardeira da Silva

Variantes históricas e culturais do turismo.  Abordagens socio-culturais sobre turismo. A produção do lugar turísticos. Objectificação, mercadorização e display cultural. Salvação, cooperação e patrimonialização. A agenda partilhada do património.       Encontros turísticos: raça, género e etnicidade na mobilização turística; encontros culturais e sexuais. Consumo visual, turismo virtual e narrativas individuais.   Desafios éticos, epistemológicos e metodológicos do turismo.

 

Usos da Cultura

Docente: João Leal

Formulações e debates antropológicas em torno do conceito de cultura.  Apropriações do conceito de cultura 1: identidade nacional e cultura; etnicidade e cultura.  Apropriações do conceito de cultura 2: cultura e património; contextos locais do uso da cultura. Cultura e identidade: debates e dilemas Especialistas da cultura e intermediações.

 

Antropologia do Desenvolvimento Local

Docente: Margarida Fernandes

Macro-teorias sobre a problemática do desenvolvimento-subdesenvolvimento: correntes liberais e neo-liberais; correntes historicistas e neo-marxistas; novos conceitos e paradigmas.   A perspectiva antropológica do desenvol-vimento. Pressupostos teóricos e métodológicos. Avaliação de estereótipos, teorias e representações antropológicas sobre o desenvolvimento. Virtualidades heurísticas de uma socio-antropologia do desenvolvi-mento-mudança social.  O desenvolvimento como objecto de investigação antropológica.  Temas complementares: ecologia e desenvolvimento; género e desenvolvimento; património e desenvolvimento; o papel das ONG’s no desenvolvimento; valores locais e desenvolvimento; Estado e o desenvolvimento rural; estudo de casos.

 

Exibição, Parada e Performance

Docente: Maria Cardeira da Silva

Exibição da cultura, identidade e etnicidade: rito, performance, parada e monumento. Culturas em cena – antropologia da dança, da antropologia do teatro, antropologia da festa e do rito e antropologia dos media.   Etnografia e outras formas e suportes de dispay da cultura: filme etnográfico; novos ecrans e culturas virtuais; etnografia e literatura; a natureza como display da cultura.  Imagens da Nação e Império: cartaz da nação; museologia e colonialismo; exposições mundiais; retóricas e políticas culturais externas    Diferença em cena: consumos e display; culturas juvenis e performance; multiculturalismo e performance cultural; cultura como expressão de classe.

 

Património, Ambiente e Museologia

Docente: Henrique Coutinho Gouveia

Museologia e História Natural.  Progresso científico e instrução popular. Emergência da Etnografia. Critérios de documentação. Finalidades e processamento das colecções etnográficas. Componentes antropológica e arqueológica. Projecção dos museus no espaço exterior. Antecedentes setecentistas e desenvolvimentos oitocentistas. Deslocações de testemunhos e reconversão in loco Diversificação da tipologia museológica.            Preocupações ambientais e papel de intervenção social. Ecomuseologia.  Processamento e valorização do património. Panorama da realidade portuguesa – sinopse da sua evolução e situação presente. Plano central e regional. Propósitos de renovação e elementos de diagnóstico.  Projectos de grande dimensão e motivações económicas. Papel da iniciativa privada. Referência a projectos recentes.

 

Antropologia e Imagem

Docentes: Catarina Alves Costa

Documentarismo, sua história, tendências recentes e aplicações para o conhecimento antropológico.

Questões da subjectividade, posição da Câmara, experiências feitas, em especial nos anos 60 com o Cinéma Vérité e com o Direct Cinema americano.

 Antropologia Visual, começos do uso da imagem, as várias tendências, escolas e correntes teóricas (em França, Inglaterra, Alemanha e nos EUA).

O lugar do filme no contexto académico da Antropologia. Cultura Visual: fotografia e vídeo amador como fontes para a reflexão antropológica.  Arquivos, Biografias e diários, a aproximação museológica e arquivística.          Métodos visuais em pesquisa social, análise com imagem, o ensaio fotográfico- reflexão em torno da ligação histórica entre Antropologia e Fotografia. Documentarismo de vocação etnográfica em Portugal.  A ruralidade e uma Etnologia da urgência nos anos 60. Estudos de caso.

 

Antropologia do Ambiente

Docente: Amélia Frazão Moreira

Antropologia e ambiente: conceitos base e precursores.  Saberes ecológicos, cosmologias e representações sociais do ambiente.  Etnoecologia. Sistemas económicos, diferenciação social e gestão local dos recursos biológicos. Os estudos e os instrumentos metodológicos das Etnobiologias aplicados à conservação da natureza.  A questão dos conhecimentos associados aos recursos genéticos. Bioprospecção, biopirataria e direitos de propriedade intelectual.  A análise da cultura letrada ambientalista.  Os discursos e as práticas ambientalistas como objecto da Antropologia. Planeamento, execução e avaliação de programas de preservação e conservação do ambiente, numa perspectiva antropológica.

 

Programação Museológica (comum ao mestrado de Museologia)

Docente: Graça Filipe

Conceitos de projecto, programa e programação em contexto museológico (e patrimonial).Programação e enquadramento legal da criação e do funcionamento de museus em Portugal.Metodologia da programação museológica – do espaço institucional do museu ao território de intervenção.museológica; etapas e intervenientes (do diagnóstico/situação de partida ao programa definitivo). Programação vinculada a redes e sistemas museais. Programação como instrumento de planificação e de sustentabilidade de um museu/de património valorizado e fruível ao público. Casos de estudo e análise de boas práticas – levantamento e selecção de casos, visitas de estudo, palestras e debates com alguns intervenientes na programação de museus e/ou autores de documentos programáticos e projectistas. 

 


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: